Existe respaldo bíblico para a “dança no espírito”?

julho 3, 2017 Comentários desativados em Existe respaldo bíblico para a “dança no espírito”?

Conheça a opinião do pastor Israel Maia sobre esse tema que sempre causa polêmica no meio evangélico.

Por Renata Pires
retricapires@gmail.com

Entre 1906 e 1910 aconteceu nos Estados Unidos um reavivamento espiritual, no qual pessoas foram batizadas no Espírito Santo e assim nascia a igreja pentecostal. Um ano depois foi inaugurada no Brasil a primeira Igreja Assembleia de Deus, sendo atualmente a maior denominação pentecostal do mundo com membros que ultrapassam 22,5 milhões de pessoas. Durante o centenário aconteceram inúmeras separações e centenas de novas igrejas surgiram com o mesmo nome, e entre elas, denominações compostas dos chamados crente do fogo ou do reteté, que acreditam que o Espírito Santo se manifesta nos cultos através da “dança no espírito”.
Para dar respaldo a prática de dançar no espírito, os crentes do reteté citam algumas passagens bíblicas em que o povo de Deus dançou para justificar o movimento. Os irmãos do fogo ainda acreditam que os mais “eufóricos” estão cheios da presença de Deus. Já o pastor e psicanalista Israel Maia diz que não podemos afirmar que esta é uma crença das igrejas pentecostais, pois para ele, não há passagens bíblicas que reforcem tal teoria. “As passagens bíblicas onde são apresentadas as danças não mostram como sendo uma manifestação do Espírito Santo. A dança é uma expressão restrita da carne”, explica o teólogo que ainda exemplifica sua tese. “Observe uma criança. Mesmo ela sendo ainda bem novinha em sua tenra idade, ao ouvir uma música mesmo sem saber qual o seu conteúdo, ela começa a dançar. Sabe por quê? Porque é uma manifestação da carne e não do Espírito Santo”.

…Não posso concordar que o Espírito Santo irá inspirar alguém a uma atitude semelhante a usada pelo diabo, pois quem copia é ele. Pastor Israel Maia

O que é dançar no espírito?

Quando a pessoa dança no espírito, ela faz movimentos giratórios repetidas vezes ao som de batidas musicais fortes. E isso gera muita polêmica no meio cristão, porque essas pessoas são comparadas àquelas praticantes de religiões afrodescendentes. Para o pastor Israel Maia, tais movimentos são emoções exageradas e que não tem nada a ver com o Espírito Santo. “A dança é utilizada por satanás como uma espécie de ritual para o acasalamento, isto é, para atrair as pessoas para o terreiro, pois em muitos casos são danças sensuais que tem por objetivo inebriar os espectadores. Não posso concordar que o Espírito Santo irá inspirar alguém a uma atitude semelhante a usada pelo diabo, pois quem copia é ele”, pontua o pastor.

Por que a dança no espírito escandaliza?

Na internet é possível assistir diversos vídeos que mostram sequências dos rodopios, saltos, marchas, além de gritos eufóricos. Uma das coisas que mais intriga quem está de fora é se os “dançarinos” estão conscientes ou não. “O ato de dançar, por ser uma expressão da carne, deve permitir que o mesmo esteja perfeitamente consciente. Se estiver em transe estará sob o domínio de algum demônio”, especula o pastor. A prática choca até quem não é crente e o assunto vira motivo de chacota para o cristão, seja ele pentecostal ou não. Os comentários demonstram as opiniões preconceituosas em relação ao povo de Deus, devido as danças.
A teoria de que há uma igreja em cada esquina têm fundamentos, mas engana-se quem pensa que elas são todas iguais. No Brasil existe cerca de 15 denominações evangélicas; cada uma com um segmento que vai do tradicional, passa pelo pentecostal até chegar nos neopentecostais – sem contar com as subdivisões que caracterizam a identidade teológica dos grupos supracitados, assunto para outra matéria. Se para os cristãos fica difícil explicar a essência de tantas denominações, imagine para o não cristão. Para eles a “dança no espírito” é um costume dos evangélicos.

As passagens bíblicas onde são apresentadas as danças não mostram como sendo uma manifestação do Espírito Santo. A dança é uma expressão restrita da carne. Pastor Israel Maia

Em I Coríntios 14, o apóstolo Paulo explica acerca dos dons espirituais. Cada um deles é usado pelo Espírito Santo para auxiliar na propagação do evangelho de Jesus Cristo e, por consequência, edificar a igreja. Dançar no espírito está longe de ser considerado um dom, tão logo de ser espiritual. O pastor Israel Maia traz uma reflexão plausível para explicar a repulsa, inclusive de pentecostais. “Esse espanto acontece porque não é mover do Espírito, pois quando o Espírito se move Ele não causa espanto, e sim admiração como foi no dia do Pentecoste”, pontua.

O que a Bíblia diz sobre dançar no espírito?

Outras questões geram divergências entre os próprios pentecostais. A primeira delas é quanto ao surgimento desta forma de “adoração”, chamada por muitos cristãos de meninice espiritual. O início, sem data específica, pode ter acontecido em meados da década de 90 – como foi citado anteriormente – após a abertura de igrejas em virtude da saída de membros e pastores da Assembleia de Deus. O segundo assunto polêmico é a discordância dos evangélicos da linha pentecostal sobre a dança no espírito. Os que duvidam dizem que o movimento não é uma manifestação espiritual, e sim influência da umbanda.
E para provar que a dança no espírito não tem embasamento bíblico, o pastor Israel Maia cita os versículos utilizados pelos crentes do reteté, como justificativa para o movimento, para desmistificar esta teoria. “Quando vemos Miriã dançando observamos que ela estava alegre pelo fato do povo ter atravessado a Mar Vermelho (Ex. 15.20). Davi dançou pelo fato de ter vencido as suas batalhas contra os Filisteus (II Sm 6.14). A dança da filha de Jefté também era de alegria pela vitória de seu pai contra os inimigos de seu povo (Jz 11.34). Já dança da filha de Herodías foi uma artimanha para matar João Batista (Mc 6.22). Não há nada de espiritual nestes fatos bíblicos”, argumenta o pastor.

Ministério de Dança

As igrejas com membresia jovem incentivam o crescimento do ministério de dança que é composto quase 100% por moças entre 13 a 30 anos. Em conjunto com o ministério de louvor as integrantes do grupo dançam diante da igreja em forma de adoração a Deus com passos coreografados, bem diferente da dança no espírito que é algo sem ordem.  O pastor Israel é enfático ao dizer que o ministério de dança não é fruto do mover no espírito, já que ele afirma que tal movimento não tem respaldo bíblico, logo não existe. “As coreografias nada mais são do que uma forma de expressar com o corpo a adoração a Deus. Não pode ser ramificação de algo que não acredito”. O corpo, alma e espírito devem estar em sintonia para adorar a Deus. O corpo como templo do Espírito Santo deve ser usado de forma prudente e com decência. As vestimentas devem estar de acordo com a santidade proposta no louvor e coreografia para não atrair a atenção da igreja, e sim levar os pensamentos Aquele que é digno de todo louvor e forma de adoração.


Sobre pastor Israel Maia:

Psicanalista; Teólogo;
Membro da Junta Conciliadora da CONAMAD no estado do Rio de Janeiro;
Membro do Conselho de Educação Cristã da CONAMAD Região Sudeste;
Pastor Presidente da Assembleia de Deus em Bento Ribeiro, Rio de
Janeiro – RJ ADEBRI;
Membro da Diretoria da Sociedade Psicanalítica de Estudos Freudianos do Estado do Rio de Janeiro;
Professor de diversas matérias teológicas; Escritor;
Autor dos Livros: Enfermidades da Alma – Identificando os Distúrbios Emocionais e Confrontando – os com Soluções Divinas e Bíblicas – 1ª edição com mais de 10.000 cópias vendidas e 2ª edição;
Síntese de Teologia Sistemática;
Vivendo o Fruto do Espírito em Meio aos Apelos Midiáticos e Tecnológicos.
Articulista; Conferencista e Youtuber no Canal Evangelho Claro.

Compartilhar!

POSTS RELACIONADOS

Comments are closed.