Congresso da Cibecadi é marcado por testemunhos de cura divina

outubro 15, 2015 0 Comentário »

O evento contou com a participação da cantora Flordelis e do cantor e compositor Suedson Damasceno

Entre os dias 3 e 5 de outubro, a Catedral das Assembleias de Deus em Itaguaí (Cadi) recebeu centenas de mulheres para o Congresso da Cibecadi (união de senhoras) liderado pela pastora Rute Ribeiro, esposa do pastor presidente, Roberto Ribeiro de Souza. O evento contou com a participação da cantora Flordelis e do cantor e compositor, Suedson Damasceno. Além da presença do prefeito de Mangaratiba Dr. Ruy Quintanilha, e de sua esposa Flávia Ferrazani.

O tema da festa “Vivendo Milagres” foi recheado de testemunhos de curas e milagres divinos. Em todos os dias do evento, várias pessoas contaram sua história de cura e superação, fortalecendo a fé dos irmãos. Músicas como “Mil Graus”, do grupo Renascer Praise, “Milagres”, do cantor André Valadão, “Mulher Virtuosa”, da cantora Janete de Oliveira e “Coisa de adorador”, de Amanda Ferraz, foram entoadas pelo grande coral de irmãs vestidas de azul. Cheias de animação, elas contagiaram os presentes.

Quem pregou na noite de abertura do Congresso foi a missionária Débora Gomes, da Igreja Assembleia de Deus Ministério Todos os Santos. Ele falou sobre Sulamita, baseada no livro de II Reis 4. “Sulamita preparou para Elias um quarto, que representa lugar de intimidade; uma cama, que é o lugar de descanso; uma mesa, lugar de comunhão. Quem está no descanso de Deus, não se apavora. A desgraça bate na porta, mas ela está de pé, porque confia no Senhor […]Estamos vivendo dias em que as pessoas não se amam mais, não se comunicam mais, não têm mais mesa. Você faz aniversário e ninguém te liga, ninguém te procura para dar um abraço, porque um zap zap ou um recadinho no Facebook é suficiente”, disse a missionária Débora.

Ele ainda contou parte do seu testemunho de vida. “Eu nasci no interior de São Paulo em berço evangélico e desde que me entendo por gente, eu vejo a minha mãe e o meu pai sofrendo na obra de Deus. As pessoas têm a mania de achar que crente não pode sofrer. Se você estiver fazendo a vontade de Deus, você vai sofrer. Só se cresce passando pelo deserto[…]Meus pais faziam a obra de Deus e passavam fome com três filhos para criar. Teve um dia, em que a única coisa que tínhamos para comer eram dois dedinhos de arroz. Minha mãe estava grávida, e depois que ela cozinhou aquele pouquinho de arroz, sentou com a panela na mão, e eu e meus irmãos fizemos uma roda em volta com a colher, depois agradecemos a Deus e começamos a comer. Aqueles dois dedinhos de arroz só acabaram depois que o último filho largou a colher, quando já estávamos todos satisfeitos. E nem com essa dificuldade toda eu via meus pais discutindo na nossa frente, murmurando contra Deus, ou deixando de abrir a igreja porque não tinha comida em casa”, contou a pregadora.

No domingo (4/10), o cantor Suedson Damasceno emocionou os irmãos cantando hinos de sua autoria como “Questiona ou Adora” e “Quem foi que disse”, interpretados pela cantora Flordelis. “Quando você estiver em crise, você precisa adorar. Certa vez, um “amigo” me disse que meu tempo como compositor já tinha acabado, porque já tinham muitos compositores novos na mídia. Eu respondi a ele, que nem tudo que está na mídia é bom. Vender muitos Cds não é suficiente. Suficiente é viver todos os dias na presença de Deus”, ressaltou o cantor durante as ministrações. Ele ainda cantou as músicas “Lindo coral” e “João Viu”, também de sua autoria.

Suedson Damasceno pregou a Palavra oficial da noite baseado no capítulo 6, do livro de João. “Existem milagres que Deus faz e outros que nós provocamos. Deus espera algumas reações, atitudes da gente. Que ele é poderoso, dono de tudo a gente já sabe, mas às vezes ficar na zona de conforto é mais fácil[…] Algumas atitudes nossas movem a mão de Deus. A Bíblia não diz o nome do menino que ajudou a alimentar a multidão. Aquele alimento era o que ele tinha de mais precioso. Talvez a única coisa que ele tinha para dividir em casa. Mas, quando Deus pediu, ele abriu mão do que tinha de melhor para colocar na mão de Jesus. Às vezes a gente deixa de receber, porque fica dando resto para Deus”, afirmou Suedson.

Ele deu ainda outros exemplos de “provedores de milagres do anonimato” registrados na Bíblia. “No capítulo 5 de II Reis nós vemos a história da menina que era serva de Naamã.  A passagem também não fala o nome dela. Mas foi essa menina quem disse a Naamã que procurasse o profeta.  Em Marcos, no capítulo 2, a Bíblia fala sobre os amigos que ajudaram um paralítico a chegar até Jesus. A gente não precisa provar para ninguém o que Deus faz. Ninguém precisa saber o seu nome, seu nome não precisa ir para a mídia, quem tem que aparecer é Jesus, fique no anonimato!”, enfatizou Suedson Damasceno.

Compartilhar!

POSTS RELACIONADOS

Deixe uma resposta:

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *